O que significa microbiologia?

Microbiologia é a ciência que estuda os microrganismos, ou seja, todos os organismos que só conseguimos observar com um microscópio: bactérias (Reino Monera), protozoários (Reino Protista), algas, alguns fungos (Reino Fungi) e vírus.

Mas, Samuel, para que serve a Microbiologia? Por que ela estuda esses microrganismos? Estudar esses organismos microscópicos é fundamental para diferentes áreas do conhecimento que afetam diretamente nossas vidas, como saúde pública, indústria alimentícia e ecologia.

Neste post, vamos ver os principais conceitos de Microbiologia e entendê-los. Preste atenção, porque há muitos termos cujas definições são semelhantes e que são muito cobrados nos vestibulares e também no Enem. Acompanhe!

Quais os principais conceitos de Microbiologia?

Agente etiológico ou patógeno

É o agente causador de uma doença. Um exemplo para entendermos melhor: você já deve ter lido por aí: “o animal que mais mata no mundo é o mosquito”. Essa afirmação está errada, pois o mosquitinho em si, coitado, não mata ninguém. O responsável pela alta mortalidade do mosquito é o agente etiológico ou patógeno que ele carrega e transmite aos seres humanos, como vírus e protozoários.

Contaminação

Quando algo está contaminado (animal, pessoa, local ou objetivo), isso significa que há a presença do patógeno ali.

Endemia

O conceito de endemia é amplo, uma vez que outras áreas da Biologia também o utilizam – uma planta ou um animal podem ser endêmicos, por exemplo. Porém, em Microbiologia, o conceito de endemia diz respeito à prevalência de uma doença (ver conceito adiante) em uma região, ou seja, quando a patologia é muito comum a uma localidade restrita (cidade, estado ou país). O melhor exemplo nesse caso é a malária na região amazônica do Brasil.

Leia mais: GENÉTICA: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER

Epidemia

Um dos conceitos de Microbiologia mais cobrados no Enem e em vestibulares pelo Brasil. Epidemia significa o aumento repentino e súbito de uma doença em uma população. Um exemplo é o recente aumento de casos de sarampo no País, causados, sobretudo, pela falta de vacinação.

Hospedeiro

É o ser que hospeda um outro organismo. E, aqui, é importante prestar atenção, pois temos dois tipos de hospedeiros. São eles:

  • Definitivo: termo muito utilizado na Parasitologia, define o hospedeiro que carrega dentro de si um agente etiológico ou outro organismo que está em fase reprodutiva e, por consequência, multiplica-se dentro do seu hospedeiro.
  • Intermediário: por outro lado, o hospedeiro intermediário é aquele que carrega organismos que não estão se reproduzindo (ou o fazem de maneira assexuada). O exemplo muito utilizado em questões de Biologia é o caramujo que hospeda o parasita responsável pela doença esquistossomose.

Letalidade

Diz respeito ao número de mortos em uma população. Na Microbiologia, esse é um conceito ligado a doenças causadas por vírus, bactérias e protozoários. Em tempos de Coronavírus, você certamente viu notícias que citavam a taxa de letalidade da doença, nesse caso, representada em percentual.

Pandemia

Quem acompanha as notícias sobre o Covid-19 já sabe: a pandemia acontece quando há casos registados de uma determinada doença em diversas nações ao mesmo tempo. Em outras palavras, trata-se de uma epidemia amplamente distribuída.

Leia mais: AQUECIMENTO GLOBAL E EFEITO ESTUFA: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER

Parasitismo

Trata-se de uma relação ecológica não benéfica. Nela, o parasita ganha e, obrigatoriamente, o hospedeiro perde. Um exemplo do dia a dia é o piolho: enquanto ele suga nosso sangue, ele ganha, e nós perdemos.

Patogenicidade

É a capacidade de causar uma doença. Por exemplo: quando falamos que a patogenicidade de um microrganismo é elevada, isso quer dizer que o potencial desse ser em causar uma doença qualquer é alta.

Período de incubação

É o tempo que leva desde o contágio, ou seja, desde a penetração do agente etiológico ou patógeno em um organismo até o aparecimento dos primeiros sintomas. Existem doenças em que esse processo pode levar poucos dias, como a gripe, até aquelas que podem levar anos, como a Doença de Chagas, por exemplo.

Prevalência

Consiste no total de casos de um doença em uma população. Mas atenção: a prevalência não diz respeito ao número de casos em um determinado surto, mas sim a todos os casos já registrados da doença na história de determinada população.

Profilaxia

Profilaxia é outro conceito extremamente amplo. Na verdade, trata-se de um termo que é mais bem explicado com uma equação: profilaxia = prevenir + controlar + erradicar.

Por isso, quando falamos em profilaxia para uma determinada doença, precisamos pensar em todas as medidas para se precaver dessa patologia, controlar sua disseminação e também de forma eliminá-la daquela população.

Reservatório

É um ser que abriga um patógeno, o transmite e o dissemina, mas não é afetado por ele. Exemplo: o barbeiro, que aloja dentro de si o patógeno responsável pela Doença de Chagas.

Sinantropia

Diz respeito à capacidade de adaptação em construções humanas. Nesse sentido, existem graus de sinantropia, que vão variar de acordo com a adaptabilidade do ser em questão. Por exemplo: embora não sejam seres microscópicos, baratas e pombos são seres altamente sinantrópicos, ou seja, adaptáveis ao que o ser humano criou.

Soro e vacina

Outros dois conceitos muito comuns nos vestibulares, em especial suas diferenças. Aliás, aqui tem muita pegadinha! Basicamente, é o seguinte: o soro é utilizado para remediar, como no caso do tratamento de toxinas. Por sua vez, a vacina é uma medida de prevenção, isto é, ela é uma forma de imunização, fazendo com que o organismo produza anticorpos contra determinado patógeno e armazene células de memória.

Vetor

É o responsável pela transmissão do patógeno, fazendo que determinada doença circule em uma população. De maneira geral, os vetores são artrópodes, em especial os insetos. Como exemplo, podemos pegar o mosquito da dengue, o Aedes Aegypti, que transfere o vírus da dengue de um animal para o ser humano.

São dois tipos de vetores:

  • Biológico: quando o patógeno se multiplica dentro do vetor.
  • Mecânico: quando ele apenas carrega o patógeno, mas não há multiplicação.

Virulência

É a capacidade de infecção de um determinado patógeno ou agente etiológico. Quanto maior a virulência de um microrganismo, maior é a gravidade da infecção que ele causa.

Zoonose

É quando uma doença é comum tanto a seres humanos quanto a outros animais. Um exemplo é a toxoplasmose, também conhecida como doença do gato.

Ainda está com dúvidas sobre o que é microbiologia? Aperte o play e vem comigo!

Espero que vocês tenham gostado desse resumo! E se você ficou com alguma dúvida, escreva aqui nos comentários que eu respondo!

Quer se sair bem na escola ou vai prestar vestibular e ENEM? Vem tomar um amargo, que eu te ajudo a conquistar esse sonho! Na minha plataforma, você aprende desde o início da vida até o equilíbrio de todas, através de aulas aprofundadas, dinâmicas e muito divertidas comigo, um professor apaixonado pelo que faz.

SAIBA MAIS

Me acompanhe nas redes sociais: curta a minha página no Facebook, me siga no Instagram, se inscreva no Youtube.

Compartilhar:
Professor Samuel Cunha

Professor Samuel Cunha

Biolândia é uma plataforma dedicada ao ensino da mais linda ciência chamada Biologia.

1 Comentário

  1. Obrigada pelas informações.

Deixe uma resposta