cnidarios-sao-protostomios-ou-deuterostomios

Cnidários são Protostômios ou Deuterostômios?

No texto de hoje vamos desvendar um mistério: os cnidários são protostômios ou deuterostômios? Mas antes de te entregar esta resposta, precisamos falar sobre embriologia e a classificação dos seres vivos.

Os seres vivos podem ser classificados de acordo com diversas características. Em um primeiro momento, os naturalistas focavam nas características que podiam ser facilmente observadas por eles, como por exemplo a ausência ou a presença de pelos. Com o passar do tempo e a evolução da ciência novas classificações surgiram. Hoje, com o auxílio da biologia molecular, podemos estudar os seres vivos com relação aos seus genes e compará-los. Mas antes disso pesquisadores passaram a observar o desenvolvimento embrionário dos organismos, reconhecer as semelhanças e diferenças e utilizar o desenvolvimento embrionário como critério de classificação.

Quer entender mais sobre o assunto? Continue a leitura do texto e descubra se os cnidários são protostômios ou deuterostômios.

Os folhetos germinativos

Os folhetos germinativos são os tecidos embrionários formados durante a embriogênese, o processo de desenvolvimento do zigoto. Podemos dividir este processo em três etapas:

  1. Segmentação: divisões celulares sucessivas;
  2. Gastrulação: após a formaçaão da blástula forma-se a gástrula, momento em que os folhetos germinativos se formam;
  3. Organogênse: os folhetos germinativos se dividem e diferenciam originando os órgãos do indíviduo.

Os três folhetos embrionários que podem ser formados durant ea gastrulação são:

  • Ectoderma: folheto mais externo, dá origem ao sistema nervoso periférico e central, a epiderme e suas estruturas associadas;
  • Mesoderma: folheto do meio, origina as cartilagens, ossos, músculos, sistema cardiovascular, sistema urinário, ovários e testículos;
  • Endoderma: folheto mais interno; dá origem ao revestimento epitelial do trato digestivo e respiratório, glândulas salivares., glândulas tireoide, paratireoide, timo, fígado e pâncreas.

Os seres vivos que fazem parte do Reino Animal podem ser classificados em diblásticos ou triblásticos.  Os diblásticos apresentam dois folhetos germinativos, enquanto que os triblásticos apresentam três.  Os cordados, organismos que em algum momento da sua vida tem notocorda, são triblásticos. E os cnidários? Estes organismos são diblásticos: apresentam endoderma e ectoderma na fase de grástrula.

O celoma

O celoma é a cavidade corporal que tem seu espaço preenchido por  um fluído e que encontra-se revestida totalmente pelo folheto embrionário intermediário, a mesoderme. Durante o desenvolvimento embrionário, o celoma é responsável por:

  • Eliminar excretas;
  • Local de armazenamento temporário de gametas;
  • Distribuir diversas substâncias pelo corpo do embrião;
  • Abrigar a acomodar os órgãos internos;
  • Atuar como esqueleto hidrostático e contribuir para a sustentação do organismo.

Os organismos, com relação ao celoma podem ser classificados em três tipos:

  1. Celomados: animais que apresentam celoma verdadeiro, caso de todos os organismos triblásticos (exceto nematelmintos e platelmintos);
  2. Pseudocelomados: apresentam uma cavidade no seu corpo, mas esta é delimitada pela mesoderme e endoderme, é o caso dos nematelmintos;
  3. Acelomados: a cavidade corporal está ausente, como por exemplo nos platelmintos.

Essa classificação é exclusiva dos organismos triblásticos. Por isso os cnidários, por serem diblásticos, e os poríferos (por não terem tecidos) não são classificados com relação ao celoma.

Protostômios ou Deuterostômios?

Logo após a formação do zigoto, com o encontro do óvulo com o espermatozoide, uma nova etapa do desenvolvimento embrionário se incia: a segmentação.  Neste momento sucessivas divisões celulares do tipo mitose acontecem. O número de células que formam o embrião aumentam até o momento que ele alcança o estágio de mórula. Nesta etapa o embrião lembra uma amora, é um aglomerado de células.  A mórula é praticamente do mesmo tamanho que o zigoto, já que as clivagens acontecem muito rápido e os blastômeros não tem tempo de crescer antes de uma nova divisão celular.

Em um segundo momento, forma-se a blástula. As células (blastômeros) se movimentam e se reorganizam dando origem a uma cavidade cheia de líquido: a blastocele. A próxima etapa é a gastrulação, por processos de diferenciação celular e invaginações surgem os folhetos germinativos. Neste processo uma nova cavidade é formada: o arquêntero, que dará origem ao trato digestório e se comunica com o meio externo pelo blastóporo.

Veja o desenvolvimento embrionário na imagem:

desenvolvimento-embrionário

O blastóporo, durante o desenvolvimento embrionário pode seguir dos destinos: dar origem ao ânus ou dar origem à boca.  Com relação ao destino do blastóporo os animais podem ser classificados em:

  • Deuterostômios: quando o blastóporo dá origem ao ânus;
  • Protostômios: quando o blastóporo dá origem à boca.

Quem são os deuterostômios na escala zoológica: os equinodermos (estrelas, bolachas e ouriços-do-mar) e os cordados. Os demais organismos são classificados como prostostômios, o que inclui os cnidários neste grupo.

Fique por dentro: Conceitos da Embriologia: Celomados, Pseudocelomas e Acelomados 

Os cnidários

Os  cnidários são animais com organização corporal relativamente simples, mas mais complexa do que a dos poríferos, já que apresentam tecidos.  Eles podem ser sésseis ou móveis, ou seja, podem passar a sua vida toda fixos em um substrato ou livres pelo oceano.  Fisicamente podem ser pólipos (fixos) ou medusas (móveis). Como exemplos de organismos deste filo podemos citar as anêmonas-do-mar e as águas vivas.

Fique pode dentro das características gerais do filo:

  • Também são conhecidos como celenterados;
  • Possuem simetrial radial;
  • Apresentam a cavidade gastrovascular no interior do seu corpo, onde ocorre o processo digestivo dos alimentos;
  • Ao redor da boca podem apresentar tentáculos para capturar alimento;
  • Apresenta cnidócitos: células especializadas encontradas na epidermes, com cnidas no seu interior que podem ser do tipo nematocistos (estruturas flageladas que liberam uma substância urticante);
  • São diblásticos: com ectoderme e endoderme;
  • São protostômios;
  • Entre os folhetos embrionários apresentam mesogleia de consistência gelatinosa;
  • O processo digestivo é extracelular e intracelular: começa na cavidade gastrovascular e é finalizado no interior das células;
  • Não apresentam sistema excretor: eliminam toxinas por difusão na superfície corporal, as trocas gasosas acontecem da mesma forma;
  • Sistema nervoso é difuso:  as células nervosas encontram-se espalhadas plelo organismo.

Fique por dentro: Reino Animal: características que distinguem os animais

A reprodução dos cnidários 

O processo reprodutivo desses animais pode se dar de forma assexuada ou sexuada.  Na reprodução assexuada não há participação de gametas, como por exmplo no processo de brotamento das hidras.  O broto se desenvolve e em um determinado momento de descola do organismo maior e cresce de forma independente.  Este fenômeno reprodutivo acontece em outras espécies de cnidários, não apenas nas hidras.

A reprodução sexuada envolve a participação de gametas. Os gametas do sexo masculino são liberados na água e ao encontrar um óvulo no corpo de uma hidra a fecundação acontece. Após sucessivas mitoses  e diferenciações celulares pode ser formada a larva do tipo plânula. Esta nada livremente pelos oceanos e quando encontra um substrato adequado fixa-se e desenvolve-se em uma nova hidra.

Há ainda um outro processo reprodutivo que acontece nos cnidários: a alternância de gerações.  O ciclo de vida tem uma etapa sexuada e uma etapa assexuada, é comum em águas-vivas de diversos gêneros, inclusive entre os hidrozoários Obelia sp. Veja na imagem a seguir como este ciclo reprodutivo acontece:

ciclo-de-uma-medusa

Agora que você já descobriu se os cnidários são protostômios ou deuterostômios….

…. que tal aprofundar seus conhecimentos com esta aula de embriologia? É só dar play!


Espero que este post tenha ajudado você a entender mais sobre o desenvolvimento embrionário e sobre os cnidários. E se você quiser ver mais conteúdos bacanas sobre Biologia, não se esqueça de visitar o meu blog!

Quer se sair bem na escola ou vai prestar vestibular e ENEM? Vem tomar um amargo, que eu te ajudo a conquistar esse sonho! Na minha plataforma, você aprende desde o início da vida até o equilíbrio de todas, através de aulas aprofundadas, dinâmicas e muito divertidas comigo, um professor apaixonado pelo que faz.

SAIBA MAIS

Me acompanhe nas redes sociais: curta a minha página no Facebook, me siga no Instagram, se inscreva no Youtube e participe do meu canal oficial no Telegram.

Compartilhar:

Deixe uma resposta